Paraíba amplia número de leitos pediátricos para atender casos de síndromes gripais

maio 25, 2024 0 Por Editor

Adolescente foi socorrido para o Hospital de Trauma de Campina Grande, mas não resistiu. Foto: Divulgação. Para receber o atendimento do Centro, é necessário passar antes passar pelo Núcleo de Apoio, localizado no Hospital de Trauma de Campina Grande.Foto: João da Paz/Ascom Trauma de Campina Grande

O número de leitos pediátricos para atender casos de Síndrome Gripal Aguda Grave (SRAG) na Paraíba foi ampliado pelo plano de ação estadual publicado no Diário Oficial do Estado deste sábado (25). No total, foram implantados 119 novos leitos de UTI, semi-intensiva e enfermaria em todo o estado, complementando os 414 leitos já ativos.

A ampliação dos leitos se deu nas seguintes unidades hospitalares:

  • Infantil Arlinda Marques
  • Trauma Humberto Lucena
  • Hospital Geral de Mamanguape
  • Hospital Regional de Itabaiana
  • Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes
  • Hospital Geral de Taperoá
  • Hospital Regional de Picuí
  • Hospital Geral de Queimadas
  • Infantil Noaldo Leite
  • Hospital Regional de Cajazeiras

Além da ampliação dos leitos, o plano de ação estadual para o enfrentamento do aumento de número de casos de síndrome respiratória aguda publicado no Diário Oficial deste sábado (25) conta com as seguintes medidas: expansão de escala de profissionais da saúde, proporcional ao aumento de leitos; expansão da escala de profissionais especializados, para atuação na teleinterconsulta; programa de capacitação de profissionais de saúde no âmbito hospitalar e da atenção primária; abertura de sala situacional; monitoramento epidemiológico; e ampliação de testagem RT-PCR (para SARS-CoV-2, influenza A e influenza B).

Dos 158.460 atendimentos realizados este ano na rede estadual, o mês de abril que representou 35% dos atendimentos, seguido do mês de março com 31% e fevereiro com 18%. De acordo com a publicação, “em decorrência da sobrecarga nas portas de entrada das unidades hospitalares que ofertam atendimento em pediatria nos meses de março e abril, a Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba decidiu, emergencialmente, estruturar um fluxo de acesso único para a rede hospitalar de gerência estadual com o intuito de garantir o cuidado integral do paciente pediátrico, de acordo com a necessidade individual de cada criança paraibana”.

O período considerado de sazonalidade para agravos respiratórios na população incluindo, principalmente, crianças menores de quatro anos, se dá entre o outono e o inverno, que são exatamente os meses de março até o início de setembro, onde existe um aumento acentuado de incidência de doenças do trato respiratório.